Governo de SP
Acessibilidade: C+ C-

Releases

Filmoteca da Emplasa supera a marca de um milhão de visualizações no Youtube

10/12/2018

A Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano disponibiliza na internet 59 filmes que contam como era a vida na Grande SP a partir da década de 1970

A Filmoteca da Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa) ultrapassou a marca de um milhão de visualizações em seu canal no Youtube, onde veicula, desde 2011, 59 produções importantes para a história da cidade de São Paulo.

Os filmes estão disponíveis para consulta pública e download no site da Emplasa <http://www.bibliotecavirtual.emplasa.sp.gov.br/Filmoteca.aspx>, chegando a 700 mil views entre 2017 e 2018, com acessos de 19 países.

São documentários, curtas e vídeos assinados por cineastas conhecidos, como Nilce Tranjan, diretora de "Praça da Sé", o mais procurado pelo público, com 512 mil views, além de curtas produzidos pela própria Emplasa. Os mais vistos da produção técnica são: "Geoprocessamento Aplicado ao Planejamento" (1986), "Morar na Cidade"(1987), "Indústrias na Grande São Paulo" (1986), "Plano Metropolitano da Grande São Paulo" (1994) "Mapeia São Paulo" (2014), "Metrópole Conhecer e Agir", entre outros.

"Estas produções são frequentemente solicitados por cineastas, curadores e jornalistas para integrar mostras, outros documentários e reportagens", conta Elsa Machado Maglio, coordenadora da área de Documentação e Informações Técnicas da Emplasa. Em 2016, parte da coletânea ganhou destaque na Mostra de Cinema São Paulo Cidade Aberta, organizada pela Escola do Parlamento da Câmara Municipal de São Paulo, alcançando um público de 270 mil pessoas, aproximadamente.

A Emplasa completa 45 anos de existência em 2019 e foi pioneira na digitalização de documentos sobre planejamento metropolitano. A Filmoteca é a "joia da coroa", fruto de um momento em que a empresa promovia criativos diálogos com entidades da sociedade civil, filmava estudos em desenvolvimento e registrava os problemas vivenciados pelos moradores da Grande São Paulo na década de 1970.

Esses registros em vídeo e a divulgação para o grande público despertaram o interesse de cineastas renomados, que enxergaram na filmoteca um canal para seus filmes chegarem aos moradores da periferia. Assim, grandes diretores e produtores passaram a disponibilizar seus trabalhos para compor o acervo da filmoteca.

Até meados dos anos 1990, a parceria com os cineastas foi intensa, construindo o atual acervo cinematográfico, que chegou a contar com produções conjuntas com a TV Cultura. "Com a chegada da internet, a lógica de veiculação da informação se inverteu, de modo que os grandes diretores já não viam a necessidade de divulgar seus filmes por meio da filmoteca, uma vez que a internet democratizou a disseminação em massa dos conteúdos", salienta Elsa Maglio.

Mas a Filmoteca da Emplasa ainda desempenha papel fundamental na relação com produtores cinematográficos, dispondo para consulta todos os arquivos produzidos de 1974 até 2018, à medida que diversas universidades, empresas, urbanistas, cineastas e setores da sociedade civil procuram estes registros em vídeo para criar novas obras.

EM CARTAZ

PRAÇA DA SÉ, da diretora Nilce Tranjan (1974), é um dos fenômenos da Filmoteca da Emplasa, chegando a 512 mil visualizações no Youtube em 03/12 último. Tanta procura se deve ao fato de ser um dos raros registros da praça que é "a cara de São Paulo" 44 anos atrás.O documentário colorido, produzido em 1974 (10 minutos), mostra toda a agitação em torno do Marco Zero da Capital, com seus barulhentos vendedores ambulantes, lojas e a habitual movimentação no Centro Histórico de São Paulo.

O curta ÔNIBUS, dos diretores João Batista de Andrade, Claúdio Cerri e Nilo Mota, produzido pela TV Cultura em 1973, em preto e branco, mostra em oito minutos os problemas de mobilidade enfrentados diariamente pela população de São Paulo desde então.Traz entrevistas com trabalhadores nas filas dos terminais e nos pontos de ônibus, registrando a superlotação dos coletivos que trafegavam em número muito abaixo das necessidades dos usuários.

PAULICÉIA, de 1978, do diretor Flavio Del Carlo, documenta em 11 minutos o desenvolvimento de São Paulo do século XIX até 1970. Por meio de fotos antigas e animações, o filme mostra os eventos característicos de cada época, como a evolução dos meios de comunicação e do transporte, apontando para os problemas que o crescimento acelerado já começava a trazer

Esses e outros filmes estão disponíveis no endereço:

http://www.bibliotecavirtual.emplasa.sp.gov.br

Topo