Governo de SP
Acessibilidade: C+ C-

Notícias

Fique por dentro das notícias

Luiz Fernando é reeleito presidente do Conselho da Aglomeração Urbana

O prefeito Luiz Fernando Machado foi reeleito como presidente do Conselho Consultivo da Aglomeração Urbana de Jundiaí (AUJ), em eleição realizada na manhã desta quinta-feira (22). O prefeito de Itupeva, Marcão Marchi, foi escolhido como vice-presidente. A AUJ é formada por Cabreúva, Campo Limpo Paulista, Itupeva, Jarinu, Jundiaí, Louveira e Várzea Paulista.

De acordo com Luiz Fernando, a prioridade agora será alcançar “resultados práticos” que proporcionem benefícios à população. “A AUJ tem se mostrado uma interessante ferramenta de debates de ideias, mas, agora, precisamos trabalhar por ações efetivas, especialmente nas áreas de segurança e saúde. Vamos estreitar a nossa relação política com o Governo do Estado a fim de viabilizar recursos para os municípios investirem nessas áreas”, destacou.

23/11/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Luiz Fernando é reeleito presidente do Conselho da Aglomeração Urbana)


Resolução Ambiental flexibiliza licenças em Embu e Itapecerica e favorece desenvolvimento sustentável

Presidente da Acise, Hillmann Albrecht, afirma que resolução vai agilizar licenças ambientais e favorecer o desenvolvimento sustentável

As cidades de Embu das Artes e Itapecerica da Serra estão entre as que serão diretamente beneficiadas pela resolução 142, da Secretaria Estadual do Meio Ambiente, que possibilita a compatibilização das leis de zoneamento, para que os municípios possam liberar o licenciamento para instalação de empresas com atividades de baixo e médio impacto ambiental. A resolução, na prática, viabiliza a Lei do Guarapiranga, também chamada de lei Roberto Terassi, ex-prefeito de Embu, e um dos principais articuladores da legislação que visa promover o desenvolvimento sustentável nas regiões de mananciais.

Embu e Itapecerica estão sujeitas à rigorosa legislação ambiental por estarem inseridas em área de proteção de mananciais. A cidade mãe tem 100% do seu território em área de proteção, enquanto Embu tem 80%. Um dos principais entusiastas da resolução é o empresário Ivo Ribeiro Farias, Coordenador do Desenvolvimento Econômico do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI).

Além de flexibilizar a rigorosa legislação em vigor, a resolução deverá dar andamento às centenas de licenças paradas na Cetesb e garantir mais agilidade nos processos. A resolução é tida como uma vitória conjunta dos empresários, sociedade civil e das forças políticas locais.

Para Hillmann Albrecht, presidente da associação Comercial de Embu das Artes, a Acise, a resolução vai resolver o impasse burocrático para novas construções comerciais nas cidades e permitir que a Lei Específica Guarapiranga seja cumprida.

Ele explica que de forma prática, as prefeituras dos municípios poderão conceder o licenciamento para obras de empresas de baixo ou médio impacto ambiental, em terrenos de até 10.000 m²- processo que antes era feito apenas pela Companhia da Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), responsável até então pela liberação da autorização das obras.

A medida, que segundo ele, só foi possível com o consenso sobre a necessidade de compatibilização dos planos diretores dos municípios com a cartografia da CETESB, estava em tramitação desde abril deste ano e desafogará a demanda da Companhia e trará diversos benefícios para as cidades.

"Estamos otimistas que a resolução vai agilizar todos os processos [de construção na região que aguardam licenciamento] e permitir o desenvolvimento sustentável", afirma Hillmann Albrecht.

Um outro benefício que a nova resolução trará à região é o aceleramento no desenvolvimento econômico. Isso porque agora os projetos de obras na cidade não precisarão entrar mais na fila para esperar o licenciamento da CETESB.


"Eles não têm um filtro para analisar os processos, tanto a construção de uma casa como a de uma empresa vai no mesmo bolo", explica o presidente da Acise em relação à demora que acontecia na liberação do alvará.

Com a agilidade no processo, as empresas poderão começar a construir suas unidades mais rapidamente, gerando empregos na região e, consequentemente, movimentando a economia nas cidades. Outro ponto de destaque é que com a desburocratização, a tendência é mais estabelecimentos se atraiam para investir na região.

 

Fonte: Jornal na Net

Data: 30/10/2018

Por: Sandra Pereira

Link: http://www.jornalnanet.com.br/noticias/18750/resolucao-ambiental-flexibiliza-licencas-em-embu-e-itapecerica-e-favorece-desenvolvimento-sustentavel

31/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Resolução Ambiental flexibiliza licenças em Embu e Itapecerica e favorece desenvolvimento sustentável)

PDUI tem nova reunião para debate de macrozoneamento da AUJ
17/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (PDUI tem nova reunião para debate de macrozoneamento da AUJ)

Feira e congresso de inovação reúne mercado de TIC no Vale do Paraíba

O robô virtual que conversa, dá sugestões e resolve o problema do cliente. Uma plataforma de serviços que conecta profissionais em diversas partes do mundo para discutir um projeto de aeronave. Equipamentos que preveem as condições climáticas e indicam se o produtor rural deve irrigar ou adubar a terra e aplicar agroquímicos. Simuladores agrícolas desenvolvidos com tecnologia aeroespacial. Sistema automatizado de iluminação pública, semáforos inteligentes, plataformas que gerenciam as ações de segurança pública.
As tecnologias da informação e comunicação (TIC) estão transformando todos os setores e se tornam cada vez mais importantes em todos os processos. Não à toa, as soluções criadas nesse segmento devem movimentar R$ 600 bilhões no Brasil até 2021, segundo a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).
Nesse cenário se encontra a RM Vale TI - Feira e Congresso de Tecnologia e Inovação, que chega à quinta edição consolidada como grande evento de interesse nacional, já referência por apresentar ao público, em primeira mão, importantes soluções em TIC. O evento ocorre de 23 a 25 de outubro em São José dos Campos (SP) e contempla quatro áreas: cidades inteligentes, indústria 4.0, agronegócio e varejo.
“As TICs são essenciais em todos os ramos de atividades. E a RM Vale TI é um instrumento para estimular a proximidade entre os usuários e os produtores de tecnologia. Nós promovemos o encontro das duas partes”, resume Marco Antonio Raupp, diretor-geral do Parque Tecnológico São José dos Campos.
As inscrições para feira e congresso são gratuitas. http://www.rmvaleti.com.br/

Pesquisa, desenvolvimento e inovação

O Congresso de Tecnologia e Inovação ocorre simultaneamente à feira e é dedicado à difusão de conhecimento sobre novos processos, tecnologias de ponta e grandes cases. Os painéis mostram, do ponto de vista do usuário, como as inovações são fundamentais para aumentar produtividade, reduzir de custos e otimizar gestão e produção.
Neste ano, o destaque está nos grandes cases que serão apresentados. Profissionais de instituições como Brasscom, Embrapa, Magazine Luiza, Bradesco, Sebrae SP, Confederação Nacional da Indústria, entre muitos outros, contam trajetórias de transformação e de sucesso.
Durante o congresso, será possível entender como a inteligência artificial pode potencializar os recursos das cidades e torná-las mais sustentáveis e o conceito de turismo inteligente; conhecer os impactos das TIC no agronegócio; ver os desafios e soluções para a indústria 4.0 com o uso de máquinas conectadas e saber como o varejo está se transformando com o uso de realidade virtual, internet das coisas e big data.
“A RM VALE TI é uma grande oportunidade para empresários e administradores públicos conhecerem as tecnologias disponíveis para suas organizações. Também é o momento de fortalecer a cadeia de empresas que desenvolvem TIC”, diz Marcelo Nunes, coordenador do Cluster TIC Vale, gerido pelo Parque Tecnológico São José dos Campos e responsável pelo evento.
 
Mercado de TIC no Vale do Paraíba

O Brasil está entre os dez maiores países produtores de tecnologia da informação e comunicação. Dos profissionais brasileiros, 77% se concentram nas regiões sul e sudeste e quase metade deles está no estado de São Paulo.
O Vale do Paraíba paulista é referência no desenvolvimento de tecnologia e inovação, com grandes instituições de pesquisa e multinacionais de peso. São José dos Campos

Saiba mais sobre a RM VALE TI 

 

DESTAQUES DAS QUATRO ÁREAS DA FEIRA

 

SMART CITIES

Mercado: Empresas de TIC que desenvolvem tecnologias para cidades inteligentes acessam um mercado altamente promissor. Dados da consultoria IDC apontam que os investimentos globais cidades inteligentes devem chegar a US$ 80 bilhões em 2018. A empresa prevê que os investimentos cresçam intensamente entre 2016 e 2021, chegando a US$ 135 bilhões em todo o mundo em 2021.

Novidades: As áreas com maior demanda, em escala global, serão transporte inteligente, segurança pública baseada em dados e energia e infraestrutura resilientes. Tráfego inteligente e trânsito e vigilância visual fixa são os que geram maior demanda no mundo. Na RM VALE TI, você vai conhecer as melhores soluções que se encaixam na realidade das cidades brasileiras e também sobre o conceito de turismo inteligente.

AGRONEGÓCIO – SETOR ESTRATÉGICO NO BRASIL

Mercado: O setor de agropecuária é estratégico para a economia do Brasil. Atualmente, contribui com 23% de toda a produção brasileira. Em 2017, foi responsável por puxar o PIB nacional para cima (enquanto indústria e serviços tiveram PIB negativos). Para 2018, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada prevê aumento de 3,4% do PIB do setor.

Novidades: A grande tendência para o agronegócio é a integração de tecnologias para favorecer a gestão e o aumento da produtividade. A RM Vale TI traz o case da Fazenda 5.0 e apresenta as soluções mais inovadoras para estimular e otimizar os negócios no campo.

 

VAREJO - TRANSFORMAÇÃO NA EXPERIÊNCIA DE COMPRA

Mercado: O setor varejista é muito importante para a economia nacional: impacta em 47% do PIB brasileiro e é responsável por 17 milhões de empregos, o que representa 16% da força de trabalho do país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com levantamentos da Google, as vendas online no Brasil devem dobrar até 2021.

Novidades: Inteligência artificial para atendimento de bancos e as grandes redes de varejo que inovam com o uso de big data, realidade aumentada e operações logísticas digitais. A feira traz conceitos como o do modelo de cidade inteligente de Xerém (RJ)ProVa Lab, laboratório de varejo criado por associações em São Paulo, do Bradesco Inteligência Artificial e uma sala da realidade aumentada do Sebrae.

 

INDÚSTRIA 4.0 - NOVAS FORMAS DE PRODUÇÃO

Mercado: Menos de 2% das organizações do país estão inseridas no conceito de indústria 4.0, segundo a ABDI. Estimativas apontam que o setor tem potencial para movimentar US$ 15 trilhões em receitas nos próximos 15 anos. Especialistas acreditam que em 10 anos 15% das empresas já terão tecnologias desse conceito implementadas.

Novidades: Expansão do uso da internet das coisas, inteligência artificial, sensores, nanotecnologia, armazenamento em nuvem e análise de dados. A indústria em todo o mundo tem usado e explorado cada vez mais o potencial da tecnologia de ampliar a produtividade, desenvolver novos modelos de negócio e também de amparar a tomada de decisão das empresas.  

16/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Feira e congresso de inovação reúne mercado de TIC no Vale do Paraíba)

31-35 of 541<  ...  2  3  4  5  6  7  8  9  10  11  ...  >