Governo de SP
Acessibilidade: C+ C-

Notícias

Fique por dentro das notícias

Paulínia, Holambra e Engenheiro Coelho lideram alta da estimativa de população na RMC, diz IBGE

Paulínia (SP), Holambra (SP) e Engenheiro Coelho (SP) lideram o aumento da estimativa de população entre 2017 e 2018 na Região Metropolitana de Campinas (RMC). Os dados foram divulgados pelo IBGE nesta quarta-feira (29) e são referentes ao dia 1º de julho.
Das três, Paulínia cresceu 4,171%, saindo de 106. 776 habitantes para 102.499 moradores entre 2017 e 2018.

Holambra, conhecida como a capital nacional das flores e plantas ornamentais, teve o segundo maior percentual de aumento com 4,046%.
Já o município de Engenheiro Coelho registrou alta da estimativa de população de 4,036%.

População de Paulínia desde 2016
• 2016: 100.128
• 2017: 102.499
• 2018: 106.776

População de Holambra desde 2016

• 2016: 13.698
• 2017: 14.012
• 2018: 14.579

População de Engenheiro Coelho desde 2016

• 2016: 19.059
• 2017:19.497
• 2018: 20.284

Para quem servem os dados?

De acordo com o IBGE, as estimativas populacionais são parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) para o cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios .
Os dados são referência ainda para indicadores sociais, econômicos e demográficos. O IBGE divulga a estimativa de população em obediência ao artigo 102 da Lei 8.443/1992 e à Lei Complementar 143/2013.

Campinas com 1,1 milhão
Entre as 645 cidades do estado, Guarulhos (SP) e Campinas (SP) são as únicas que superam a casa de um milhão de habitantes, sem contar com a capital. Na Grande São Paulo, Guarulhos tem 1.365.899 habitantes, segundo a estimativa do IBGE. Campinas alcançou 1.194.094 moradores, alta de 1,07% entre 2017 e 2018.

O município de Santo Antônio do Jardim, que não faz parte da RMC, teve redução de população, segundo o IBGE. No ano passado eram 6.029, e neste ano são 5.968, redução de 1,01%.

O crescimento das cidades da RMC, segundo o IBGE

1. Americana: 237.112 (2018) e 233 868 (2017) ( aumento de 1.38%)
2. Artur Nogueira 53.450 (2018) e 51.986 (2017) (aumento de 2,8%)
3. Campinas 1.194.094 (2018) e 1.181.429 (2017) (aumento de 1,07%)
4. Cosmópolis 70.993 (2018) e 69.086 (2017) (aumento de 2,7% )
5. Engenheiro Coelho 20.282 (2018) e 19.497 (2017) (aumento de 4,036%)
6. Holambra 14. 579 (2018) e 14.012 (2017) (aumento de 4,04%)
7. Hortolândia 227.353(2018) e 222 .186 (2017) (aumento de 2.3%)
8. Indaiatuba 246.908 (2018) e 239. 602 (2017) (aumento de 3.04% )
9. Itatiba 119.090 (2018) e 116.503 (2017) (aumento de 2,2%)
10. Jaguariúna 56. 221 (2018) e 54 204 (2017) (aumento de 3,7%)
11. Monte Mor 58.765 (2018) e 57.240 (2017) (aumento de 2.66%)
12. Morungaba 13.458 (2018) e 13.232(2017) (aumento de 1,7%)
13. Nova Odessa 59.371(2018) e 58.227 (2017) (aumento de 1,9%)
14. Paulínia 106. 776 (2018) e 102. 499 (2017) (aumento de 4,1%)
15. Pedreira 47. 361 (2018) 46.598 (2017) (aumento de 1.63%)
16. Santa Bárbara d´Oeste 192.536 (2018) e 191.889(2017) (aumento de 0,33%)
17. Santo Antônio de Posse 23.085 (2018) 22.801 (2017) (aumento de 1.24%)
18. Sumaré: 278.571 (2018) e 273.007 (2017) (aumento de 2.03%)
19. Valinhos : 127.123 (2018) e 124.024 (2017) (aumento de 2,4%)
20. Vinhedo : 77.308 (2018) e 75.129 92017) (aumento de 2.9%)


Maiores cidades do país

São Paulo é a cidade mais populosa do Brasil, com 12,2 milhões de habitantes, conforme divulgado pelo IBGE, seguido pelo Rio de Janeiro (6,7 milhões de habitantes), Brasília e Salvador (cerca de 3,0 milhões de habitantes cada).

Por G1 / Campinas

29.08.2018

https://g1.globo.com/sp/campinas-regiao/noticia/2018/08/29/paulinia-holambra-e-engenheiro-coelho-lideram-alta-da-estimativa-de-populacao-na-rmc-diz-ibge.ghtml

31/08/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Paulínia, Holambra e Engenheiro Coelho lideram alta da estimativa de população na RMC, diz IBGE)

Geração de emprego e mobilidade urbana são desafios

Campeã pelo quinto ano consecutivo no saneamento básico oferecido para a população e 41ª cidade do País com maior desenvolvimento municipal, de acordo com ranking divulgado pelo Sistema Firjan (Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro), Franca tem ainda muitos desafios para continuar crescendo e oferecendo qualidade de vida para os seus 350,4 mil habitantes. 

Para o presidente da Acif (Associação do Comércio e Indústria de Franca), Dorival Mourão Filho, o crescimento da população está relacionado ao envelhecimento da mesma. Segundo ele, dados do Instituto de Economia da entidade apontam que a expectativa de vida do francano aumentou. 

“Acredito que os desafios vão desde estruturação de políticas públicas voltadas para a qualidade de vida do idoso à readequação do consumo. Setores de serviços e cuidados médicos deverão se expandir nos próximos anos, contudo, os setores de educação, transporte, recreação e comércio de bens duráveis podem sofrer abalos. Isso porque tivemos, de 1980 para cá, uma queda de 53,3% na taxa de natalidade em Franca”, disse ele, que ainda afirmou que um dos reflexos práticos do envelhecimento da população no comércio é o aumento de farmácias atuando na cidade. 

A geração de empregos, mobilidade urbana e a segurança, além da diversificação da economia, são fatores primordiais apontados pelo sociólogo Agnaldo Barbosa, professor da Unesp. “O principal é gerar empregos que consigam contemplar esse número de habitantes, isso é muito importante. Em seguida, a mobilidade urbana da nossa cidade, já que boa parte das ruas da cidade foram traçadas há muito tempo. Não temos ciclovias suficientes e o transporte público deixa muito a desejar. Consequentemente, falamos de segurança, cuja falta de emprego, sabemos que possibilita que muitos entrem para atividades ilícitas”, disse. 

O sociólogo reforçou ainda que todos os quesitos estão ligados à ausência ou ainda à presença insatisfatória de políticas públicas voltadas diretamente para essas questões. “Franca conta hoje com uma população semelhante a de grandes cidades da Europa. É preciso trabalhar no estímulo à geração de emprego, na diversidade da economia e no conhecimento da população”, finalizou. 

Por GCN / Franca

30.08.2018

https://gcn.net.br/noticias/384638/franca/2018/08/geracao-de-emprego-e-mobilidade-urbana-sao-desafios

 

31/08/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Geração de emprego e mobilidade urbana são desafios)

Região metropolitana chega a 1,7 mi de habitantes, mas 7 cidades encolhem

Estimativa do IBGE aponta que Cássia dos Coqueiros, Taiúva, Taquaral, Tambaú, Altinópolis, Mococa e Santa Rita do Passa Quatro perderam habitantes

Foto: Milena Aurea/ A Cidade

 

A Região Metropolitana de Ribeirão Preto chegou a 1,7 milhão de habitantes, segundo estimativa populacional divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgada nesta quarta-feira (29). Das 34 cidades, porém, sete encolheram em relação a 2017.  

Em um ano, a região ganhou 23,5 mil habitantes, segundo projeção do IBGE feita com base em modelos matemáticos considerando os Censos de 2000 e 2010 e a dados demográficos do Estado de São Paulo.  

Desse montante, 12,2 mil foram acrescidos apenas por Ribeirão Preto, que tem 694,5 mil moradores, de acordo com estimativa do instituto. É a 7ª maior cidade do estado e a 29º do País. Excluindo as capitais, sobe para 11º no ranking nacional.  

O ranking regional, após Ribeirão, é seguido por Sertãozinho (124,4 mil), Jaboticabal (76,8 mil) e Mococa (68,7 mil). Já na parte de baixo estão Santa Cruz da Esperança (2,1 mil) e Cássia dos Coqueiros (2,5 mil).  

Encolhimento 
Sete cidades da região metropolitana perderam habitantes em relação a 2018: Cássia dos Coqueiros (1,9%), Taiúva (0,6%), Taquaral (0,5%), Tambaú (0,4%), Altinópolis (0,3%), Mococa (0,3%) e Santa Rita do Passa Quatro (0,3%). Juntas, elas somam 519 moradores a menos.  

Segundo o IBGE, "as estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos". Ou seja: quanto maior o número de habitantes, mais verba Ribeirão receberá da União.  

Ao contrário do Censo, em que é feita a contagem da população, com números mais precisos, as estimativas levando em consideração as taxas de crescimento verificadas pelos municípios entre os Censos de 2000 e 2010, além dos nascimentos e óbitos no estado.  

A população, assim, é estimada, sem considerar o contexto local de cada município como fechamento ou abertura de empresas, estimulando ou desestimulando a habitação. 

Veja, abaixo, a estimativa populacional do IBGE para cada cidade da região metropolitana em 1º de julho de  2018:
 
*Ribeirão Preto: 694.534 
*Sertãozinho: 124.453 
*Jaboticabal: 76.864 
*Mococa: 68.788 
*Batatais: 62.024 
*Monte Alto: 50.216 
*Pontal: 49.047 
*Serrana: 44.555 
*Jardinópolis: 43.774 
*Orlândia: 43.687 
*Guariba: 39.714 
*Pitangueiras: 39.349 
*Cravinhos: 34.998 
*Morro Agudo: 32.641 
*Barrinha: 32.434 
*Santa Rita do Passa Quatro: 27.514 
*Santa Rosa de Viterbo: 26.322 
*Cajuru: 25.935 
*Brodowski: 24.592 
*Tambaú: 23.182 
*Pradópolis: 21.110 
*Altinópolis: 16.164 
*São Simão: 15.257 
*Luís Antônio: 14.592 
*Serra Azul: 14.334 
*Sales Oliveira: 11.779 
*Dumont: 9.708 
*Guatapará: 7.602 
*Nuporanga: 7.386 
*Santo Antônio da Alegria: 6.880 
*Taiúva: 5.568 
*Taquaral: 2.810 
*Cássia dos Coqueiros: 2.542 
*Santa Cruz da Esperança: 2.124 

Por A Cidade On / Ribeirão Preto

Cristiano Pavini

29.08.2018

https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/cotidiano/cidades/NOT,0,0,1364900,regiao+metropolitana+chega+a+1+7+mi+de+habitantes+mas+7+cidades+encolhem.aspx

30/08/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Região metropolitana chega a 1,7 mi de habitantes, mas 7 cidades encolhem)

População de Ribeirão Preto chega a 694 mil habitantes, segundo IBGE

Estimativa foi divulgada pelo instituto nesta quarta-feira, 29, e aponta que Região Metropolitana de Ribeirão Preto tem mais de 1,7 milhão de habitantes

Ribeirão Preto é o 29º maior município do Brasil, de acordo com a nova estimativa

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou nesta quarta-feira, 29, a estimativa da população brasileira de 2018. No País, já somos mais de 208 milhões de brasileiros e, em Ribeirão Preto, a população chega a 694 mil, sendo a 29ª maior cidade do País.

Os números foram divulgados nesta quarta, com data de referência de 1º de julho de 2018. Estima-se que o Brasil tenha 208,5 milhões de habitantes e uma taxa de crescimento populacional de 0,82% entre 2017 e 2018.

Já Ribeirão Preto apresentou um crescimento populacional de 1,7%, chegando a 694.534 moradores, ante 682.302 estimados no último ano. A Região Metropolitana de Ribeirão Preto, que engloba 34 municípios, possui 1.702.479 habitantes, de acordo com o IBGE.

Entre os municípios da região, o maior é Sertãozinho, com 124.453 moradores. O mais próximo é Jaboticabal, com 76.864, e Batatais com 62.024 moradores. Já entre outros municípios da macrorregião de Ribeirão Preto, Franca é o maior, com 350.400 habitantes, seguido por Barretos, com 121.344 moradores.

De acordo com o IBGE, as estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União (TCU) no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos.

Maiores cidades

Ribeirão Preto é o 11º maior município do interior do País, e tem população maior do que nove capitais brasileiras. São Paulo tem a maior população, com 12,1 milhão de moradores. Em seguida vem o Rio de Janeiro, com 6,6 milhões, Brasília, com 2,9 milhões de habitantes, Salvador, com 2,8 milhões, e Fortaleza, com 2,6 milhões de moradores.

Entre as cidades do interior, a maior é Guarulhos (SP), com 1,3 milhão de habitantes, seguida por Campinas (SP), com 1,1 milhão, e São Gonçalo-RJ, com a população de 1 milhão de pessoas.

Serra da Saudade (MG) é o município brasileiro com menos moradores, estimados em 786, no total, em 2018, seguido de Borá (SP), com 836 habitantes, e Araguainha (MT), com 956. Esses três municípios eram os únicos no país com menos de mil habitantes em 1º de julho de 2018.

Foto: Julio Sian/ Arquivo Revide

Por Revide

Leonardo Santos

29.08.2018

https://www.revide.com.br/noticias/cidades/populacao-de-ribeirao-preto-chega-694-mil-habitantes-segundo-ibge-/

30/08/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (População de Ribeirão Preto chega a 694 mil habitantes, segundo IBGE)

Ribeirão chega a 694,5 mil moradores e encosta em Osasco, aponta IBGE

Estudo aponta que Ribeirão é o 29º município com mais habitantes; excluindo as capitais, é o 11º maior

Ribeirão Preto (Foto: Matheus Urenha/ A Cidade)

No último ano, Ribeirão Preto cresceu 1,79%, ganhou cerca de 12,2 mil novos habitantes e chegou a 694,5 mil moradores. O município se manteve como o 8º maior do Estado de São Paulo, mas encostou em Osasco, que ocupa a 7ª posição e "encolheu" em relação a 2017.  

Considerando todos os 5.570 municípios brasileiros, Ribeirão é o 29º com mais habitantes. Excluindo as capitais, é o 11º maior. Se passar Osasco nos próximos anos, ficará entre os dez mais populosos do País nesse recorte.  

A estimativa foi publicada nesta quarta-feira (29) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), com base em um modelo matemático que projeta o número de residentes nos municípios levando em consideração dados demográficos e os Censos de 2000 e 2010.  

Quando o Censo 2010 foi realizado, Osasco tinha 666,7 mil habitantes e Ribeirão 590,6 mil, diferença de 76,1 mil moradores. 
Agora, na estimativa de 2018, Osasco tem 696,9 mil residentes, apenas 2,3 mil a mais que Ribeirão Preto.  

Se em 2019 Ribeirão Preto mantiver as projeções dos anos anteriores e crescer ao menos 0,8%, chegará a 700 mil habitantes e ultrapassará Osasco (que está estacionado no crescimento ou diminuindo), assumindo o posto de 7º maior município paulista.  

Segundo o IBGE, "as estimativas populacionais municipais são um dos parâmetros utilizados pelo Tribunal de Contas da União no cálculo do Fundo de Participação de Estados e Municípios e são referência para vários indicadores sociais, econômicos e demográficos".  Ou seja: quanto maior o número de habitantes, mais verba Ribeirão receberá da União.  
 
Brasil 

O IBGE estima que o Brasil tenha 208,5 milhões de habitantes, 0,82% a mais que em 2017.  O município de São Paulo continua sendo o mais populoso do País, com 12,2 milhões de moradores, seguido pelo Rio de Janeiro (6,7 milhões), Brasília e Salvador (cerca de 3,0 milhões de habitantes cada).  


Por A Cidade On / Ribeirão Preto

Cristiano Pavini

29.08.2018

https://www.acidadeon.com/ribeiraopreto/cotidiano/cidades/NOT,0,0,1364810,ribeirao+chega+a+694+5+mil+moradores+e+encosta+em+osasco+aponta+ibge.aspx

30/08/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Ribeirão chega a 694,5 mil moradores e encosta em Osasco, aponta IBGE)

51-55 of 541<  ...  6  7  8  9  10  11  12  13  14  15  ...  >