Brasão do Governo do Estado de São Paulo

Notícias

Fique por dentro das notícias

PDUI tem nova reunião para debate de macrozoneamento da AUJ
17/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (PDUI tem nova reunião para debate de macrozoneamento da AUJ)

Feira e congresso de inovação reúne mercado de TIC no Vale do Paraíba

O robô virtual que conversa, dá sugestões e resolve o problema do cliente. Uma plataforma de serviços que conecta profissionais em diversas partes do mundo para discutir um projeto de aeronave. Equipamentos que preveem as condições climáticas e indicam se o produtor rural deve irrigar ou adubar a terra e aplicar agroquímicos. Simuladores agrícolas desenvolvidos com tecnologia aeroespacial. Sistema automatizado de iluminação pública, semáforos inteligentes, plataformas que gerenciam as ações de segurança pública.
As tecnologias da informação e comunicação (TIC) estão transformando todos os setores e se tornam cada vez mais importantes em todos os processos. Não à toa, as soluções criadas nesse segmento devem movimentar R$ 600 bilhões no Brasil até 2021, segundo a Brasscom (Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação).
Nesse cenário se encontra a RM Vale TI - Feira e Congresso de Tecnologia e Inovação, que chega à quinta edição consolidada como grande evento de interesse nacional, já referência por apresentar ao público, em primeira mão, importantes soluções em TIC. O evento ocorre de 23 a 25 de outubro em São José dos Campos (SP) e contempla quatro áreas: cidades inteligentes, indústria 4.0, agronegócio e varejo.
“As TICs são essenciais em todos os ramos de atividades. E a RM Vale TI é um instrumento para estimular a proximidade entre os usuários e os produtores de tecnologia. Nós promovemos o encontro das duas partes”, resume Marco Antonio Raupp, diretor-geral do Parque Tecnológico São José dos Campos.
As inscrições para feira e congresso são gratuitas. http://www.rmvaleti.com.br/

Pesquisa, desenvolvimento e inovação

O Congresso de Tecnologia e Inovação ocorre simultaneamente à feira e é dedicado à difusão de conhecimento sobre novos processos, tecnologias de ponta e grandes cases. Os painéis mostram, do ponto de vista do usuário, como as inovações são fundamentais para aumentar produtividade, reduzir de custos e otimizar gestão e produção.
Neste ano, o destaque está nos grandes cases que serão apresentados. Profissionais de instituições como Brasscom, Embrapa, Magazine Luiza, Bradesco, Sebrae SP, Confederação Nacional da Indústria, entre muitos outros, contam trajetórias de transformação e de sucesso.
Durante o congresso, será possível entender como a inteligência artificial pode potencializar os recursos das cidades e torná-las mais sustentáveis e o conceito de turismo inteligente; conhecer os impactos das TIC no agronegócio; ver os desafios e soluções para a indústria 4.0 com o uso de máquinas conectadas e saber como o varejo está se transformando com o uso de realidade virtual, internet das coisas e big data.
“A RM VALE TI é uma grande oportunidade para empresários e administradores públicos conhecerem as tecnologias disponíveis para suas organizações. Também é o momento de fortalecer a cadeia de empresas que desenvolvem TIC”, diz Marcelo Nunes, coordenador do Cluster TIC Vale, gerido pelo Parque Tecnológico São José dos Campos e responsável pelo evento.
 
Mercado de TIC no Vale do Paraíba

O Brasil está entre os dez maiores países produtores de tecnologia da informação e comunicação. Dos profissionais brasileiros, 77% se concentram nas regiões sul e sudeste e quase metade deles está no estado de São Paulo.
O Vale do Paraíba paulista é referência no desenvolvimento de tecnologia e inovação, com grandes instituições de pesquisa e multinacionais de peso. São José dos Campos

Saiba mais sobre a RM VALE TI 

 

DESTAQUES DAS QUATRO ÁREAS DA FEIRA

 

SMART CITIES

Mercado: Empresas de TIC que desenvolvem tecnologias para cidades inteligentes acessam um mercado altamente promissor. Dados da consultoria IDC apontam que os investimentos globais cidades inteligentes devem chegar a US$ 80 bilhões em 2018. A empresa prevê que os investimentos cresçam intensamente entre 2016 e 2021, chegando a US$ 135 bilhões em todo o mundo em 2021.

Novidades: As áreas com maior demanda, em escala global, serão transporte inteligente, segurança pública baseada em dados e energia e infraestrutura resilientes. Tráfego inteligente e trânsito e vigilância visual fixa são os que geram maior demanda no mundo. Na RM VALE TI, você vai conhecer as melhores soluções que se encaixam na realidade das cidades brasileiras e também sobre o conceito de turismo inteligente.

AGRONEGÓCIO – SETOR ESTRATÉGICO NO BRASIL

Mercado: O setor de agropecuária é estratégico para a economia do Brasil. Atualmente, contribui com 23% de toda a produção brasileira. Em 2017, foi responsável por puxar o PIB nacional para cima (enquanto indústria e serviços tiveram PIB negativos). Para 2018, o Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada prevê aumento de 3,4% do PIB do setor.

Novidades: A grande tendência para o agronegócio é a integração de tecnologias para favorecer a gestão e o aumento da produtividade. A RM Vale TI traz o case da Fazenda 5.0 e apresenta as soluções mais inovadoras para estimular e otimizar os negócios no campo.

 

VAREJO - TRANSFORMAÇÃO NA EXPERIÊNCIA DE COMPRA

Mercado: O setor varejista é muito importante para a economia nacional: impacta em 47% do PIB brasileiro e é responsável por 17 milhões de empregos, o que representa 16% da força de trabalho do país, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com levantamentos da Google, as vendas online no Brasil devem dobrar até 2021.

Novidades: Inteligência artificial para atendimento de bancos e as grandes redes de varejo que inovam com o uso de big data, realidade aumentada e operações logísticas digitais. A feira traz conceitos como o do modelo de cidade inteligente de Xerém (RJ)ProVa Lab, laboratório de varejo criado por associações em São Paulo, do Bradesco Inteligência Artificial e uma sala da realidade aumentada do Sebrae.

 

INDÚSTRIA 4.0 - NOVAS FORMAS DE PRODUÇÃO

Mercado: Menos de 2% das organizações do país estão inseridas no conceito de indústria 4.0, segundo a ABDI. Estimativas apontam que o setor tem potencial para movimentar US$ 15 trilhões em receitas nos próximos 15 anos. Especialistas acreditam que em 10 anos 15% das empresas já terão tecnologias desse conceito implementadas.

Novidades: Expansão do uso da internet das coisas, inteligência artificial, sensores, nanotecnologia, armazenamento em nuvem e análise de dados. A indústria em todo o mundo tem usado e explorado cada vez mais o potencial da tecnologia de ampliar a produtividade, desenvolver novos modelos de negócio e também de amparar a tomada de decisão das empresas.  

16/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Feira e congresso de inovação reúne mercado de TIC no Vale do Paraíba)

População pode enviar propostas para Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado

A Plataforma Digital do Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado (PDUI) da Região Metropolitana de Campinas (RMC) está aberta para o recebimento de propostas da sociedade civil. Para participar basta acessar o link https://www.pdui.sp.gov.br/rmc/, clicar no ícone “Faça uma proposta” e fazer o cadastro.

O PDUI estabelece diretrizes, projetos e ações para orientar o desenvolvimento urbano e regional, buscando melhorar as condições de vida da população metropolitana, com compromissos em torno de políticas públicas de interesse comum. Para a elaboração do Plano, a Agência Metropolitana de Campinas (Agemcamp) montou a Câmara Temática do PDUI, com representantes do Estado e dos municípios que a integram, além de representantes da sociedade civil, e firmou uma parceria com a Universidade de Campinas (Unicamp) e a Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano (Emplasa).

Segundo informou o diretor do Departamento de Aprovações da Secretaria de Planejamento Urbano e Engenharia, Marcelo Fochi Soubhia, que é o representante de Indaiatuba na Câmara Temática, é importante que a população participe com sugestões, porque a proposta do PDUI é organizar o desenvolvimento das cidades que compõem a RMC e isso está diretamente ligado à qualidade de vida da população dessas cidades. “As audiências públicas devem ser iniciadas no mês de novembro”, avisou.

A definição do Plano de Trabalho foi passo inicial da elaboração do PDUI-RMC. Pelo cronograma aprovado pela Agemcamp, até o final de 2018 será finalizado o caderno de sustentação para a minuta do Projeto de Lei do PDUI-RMC, a ser apresentado à Assembleia Legislativa, incorporando as propostas e sugestões vindas da participação popular.

O texto precisa ser analisado e aprovado pelos deputados para entrar em vigor. O Estatuto da Metrópole, Lei Federal nº 13.089, sancionado em 2015 e modificado pela Medida Provisória nº 818 de 11 de janeiro de 2018, determina que todas as regiões metropolitanas e aglomerações urbanas brasileiras desenvolvam, até 31 de dezembro de 2021, seus Planos de Desenvolvimento Urbano Integrado. Após a aprovação da Lei, os municípios que integram essas unidades territoriais deverão compatibilizar seus Planos Diretores Municipais às novas regras.

Entre as diretrizes que nortearão as propostas do PDUI estão a orientação da ocupação urbana, a intensificação do uso das áreas urbanizadas ociosas, a melhoria na distribuição das atividades no território, a garantia de abastecimento de água para futuras gerações, a promoção de corredores ecológicos para manter a biodiversidade e preservar os mananciais e a garantia de um marco legal construído coletivamente.

Conforme definiu a direção da Agemcamp, o PDUI será a base para proposição e articulação de políticas públicas para a RMC, incluindo a alocação de recursos orçamentários, do ponto de vista interfederativo, e do Fundo de Desenvolvimento Metropolitano.

Também será o principal instrumento para a governança interfederativa, direcionando projetos e ações para atendimento das demandas presentes e futuras voltadas ao desenvolvimento sustentável metropolitano, envolvendo solidariamente os três níveis de governo e a sociedade. Com informações da Prefeitura de Indaiatuba. Imagem:  Eliando Figueira RIC/PMI

Por Z1 Notícias

08out2018

https://www.z1portal.com.br/populacao-pode-enviar-propostas-para-plano-de-desenvolvimento-urbano-integrado/

08/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (População pode enviar propostas para Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado)

Encontro em Sorocaba vai tratar dos desafios para a conservação da Mata Atlântica na RMS

Na próxima sexta-feira (5), das 8h às 17h, a Prefeitura de Sorocaba, o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural do Estado de São Paulo e o Sindicato Rural de Sorocaba vão realizar o Workshop “Desafios da Conservação do Bioma Mata Atlântica na Região Metropolitana de Sorocaba” no auditório do Centro de Referência em Educação (CRE), localizado na rua Artur Caldini, 211, no Jardim Saira.

O evento está sendo organizado pela Secretaria do Meio Ambiente, Parques e Jardins (Sema) e pela Secretaria de Relações Institucionais e Metropolitanas (Serim). “O nosso objetivo é reunir os atores sociais responsáveis por ações de conservação do bioma na região para discutir estratégias e condições para enfrentar esse desafio”, afirma o secretário da Sema, Jessé Loures.

Um dos palestrantes do workshop será o ambientalista Mário Mantovani, da SOS Mata Atlântica, que vai falar sobre o cenário das políticas e planos municipais de conservação da Mata Atlântica na Região Metropolitana de Sorocaba.

A Mata Atlântica é um bioma muito importante porque é considerada um Hotspot mundial, ou seja, uma das áreas mais ricas em biodiversidade (quantidade e variedade de espécies vegetais e animais) e mais ameaçadas do planeta e também decretada Reserva da Biosfera pela Unesco e Patrimônio Nacional, na Constituição Federal de 1988. Sorocaba está localizada numa área de transição entre o bioma Mata Atlântica e o bioma Cerrado.

O público-alvo do evento inclui funcionários públicos e tomadores de decisão dos governos municipais e estadual, universidades e institutos de pesquisa, órgãos de extensão, sindicatos, produtores rurais, indústrias, empresas, organizações não governamentais e demais interessados.

As vagas são limitadas. As inscrições devem ser feitas através do link https://goo.gl/forms/hIgwqNWqiOWoq2f92, que serão preenchidas priorizando representantes de instituições de relevante trabalho na região metropolitana. Mais informações podem ser obtidas pelo e-mail jardimbotanico@sorocaba.sp.gov.br ou de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h, pelo telefone (15) 3228.1256.

Programação

08h00 – Recepção

08h20 – Abertura

09h00 – Palestra “Cenário das áreas conservadas e em restauração do bioma e as metas de programas relacionados no Estado de São Paulo”, com o prof. Dr. Ricardo Ribeiro Rodrigues – da Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”

10h00 – Intervalo

10h30 – Palestra “Cenário das Políticas e Planos Municipais de Conservação da Mata Atlântica na Região Metropolitana de Sorocaba”, com o ambientalista Mário Mantovani (SOS Mata Atlântica)

11h30 – Palestra “Cenário do Cadastro Ambiental Rural na Região Metropolitana de Sorocaba”, com Beatriz R. Murbach Caes e Raquel M. Fonseca de Marco (Núcleo Regional de Programas e Projetos VIII – Sorocaba

Coordenadoria de Biodiversidade e Recursos Naturais – CBRN, Secretaria do Meio Ambiente do Estado de São Paulo – SMA)

12h30 – Intervalo/almoço

13h30 – Apresentação dos Grupos de Trabalho

14h00 – Dinâmica “Desafios e Ações para a Mata Atlântica”

15h30 – Pausa para café e reorganização dos resultados

16h00 – Apresentação dos resultados de cada Grupo de Trabalho

16h40 – Encerramento

08h às 12h – Exposição de trabalhos da Sema e demais interessados

Por Sorocaba Fácil  

01out2018

https://www.sorocabafacil.com.br/noticias/encontro-em-sorocaba-vai-tratar-dos-desafios-para-a-conservacao-da-mata-atlantica-na-rms-11537

02/10/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Encontro em Sorocaba vai tratar dos desafios para a conservação da Mata Atlântica na RMS)

Dados do Caged apontam crescimento de 237,97% no emprego em Indaiatuba e região
As cidades da RMC que se destacaram na geração de emprego foram Campinas, Vinhedo, Indaiatuba e Americana, com 1.895 contratações.

A geração de empregos na Região Metropolitana de Campinas cresceu, em agosto de 2018, 237,97% em relação a mesmo período do ano passado. Os dados do Caged apontam que em agosto foram gerados 2.332 postos de trabalho, fruto da contratação de 31.427 trabalhadores, contra a eliminação de 29.095 postos de trabalho.

Para o Economista da ACIC, Laerte Martins, esse foi o melhor agosto dos últimos sete anos. Para Laerte Martins, os números refletem a abertura de vagas que ficou reprimida por causa da insegurança gerada pela greve dos caminhoneiros. A melhora expressiva, no entanto, se concentra nos setores de serviços e comércio.

As áreas da indústria, construção civil e agropecuária ainda mantém números negativos. Mas, para Laerte Martins, com o aumento do consumo, a tendência é de expansão também no emprego do setor de produção. As cidades da RMC que se destacaram na geração de emprego foram Campinas, Vinhedo, Indaiatuba e Americana, com 1.895 contratações.

Só em Campinas, no mês de agosto houve 874 contratações, cerca de 327,60% acima das 384 eliminações de agosto e 2017. As quatro últimas posições ficaram para Morungaba, Monte Mor, Paulínia e Cosmópolis, com 382 eliminações de vagas. Os números do emprego na RMC seguem a mesma tendência nacional, que teve crescimento de 217,91% na abertura de vagas.

Por Z1 Portal

27set2018

https://www.z1portal.com.br/dados-do-caged-apontam-crescimento-de-23797-no-emprego-em-indaiatuba-e-regiao/

28/09/2018 Leia na íntegra a mat&ecute;ria (Dados do Caged apontam crescimento de 237,97% no emprego em Indaiatuba e região)

1-5 of 508<  1  2  3  4  5  6  7  8  9  10  ...  >